Seja bem vindo!!!
-Entre,
-Tire os sapatos,
-Sente-se e fique à vontade.
-vou pôr uma música.
-Aceita um café?
- Gosta de livros?
- escolha um e vá folheando,
-volto já, com o café.
Alexandre Pedro
e-mail: alexandre.eells@gmail.com

Pesquisar no Cárcere do Ser

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Copos de Leite


Copos de leite

Em tubos de ensaio fui levar um tanto de água ao mar, 
depois ensaiei levar em copos; era para inundar um mar em mim.
A efervescência da água borbulhante na areia inspirou-me que levasse leite.
Voltei em vários copos de longa vida frescos. Eu ia e vinha, ia e vinha, metaforizando o mar encostado nas pedras; o sol nos espionando a pele. 
Até que, em mim, nesse ir e vir, afoguei um oceâno com o leite já acima do umbigo. O mar, marulhando, se recolhendo todo, e eu me refazia na linha do horizonte; os olhos ainda trêmulos. 
Alexandre Pedro

Imagem: Projeto Coletivo Parábola
http://www.coletivoparabola.com/

4 comentários:

  1. O poeta é um Deus, e o é porque cria com total abstração das sensações externas , cria através do pensar, do sentir, do intuir, cria com plenitude de consciência, fazendo emergir dessas regiões metafísicas as chaves das portas que dão acesso a esse hermético mundo onde reside os segredos da criação, ali onde reinam as mais elevadas gerações de conteúdo divino que se aninham nos profundos e inexplorados abismos do cosmo, são consciências de pura essência de água e de luz, que quando tocadas se propagam em eletrizantes ondas de leite ,para deleite daquele que lhe é receptivo, num incessante ir e vir de gozo e graça." Bem aventurados sejam os poetas,porque deles é o reino dos céus"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ilma Bastos, Agradeço imensamente sua visita e, principalmente seu carinho e dedicação em deixar seu ilustre comentário, marcando presença e me fazendo companhia aqui no Cárcere. Fiquei meio sem palavras ao ler seu comentário; só posso dizer que adorei e me senti lisongeado pela sua graça. Muito obrigado!
      Alexandre Pedro

      Excluir
  2. Nossa, lindo poema! Nos faz refletir nossa vida, como nos inundamos com coisas inúteis e acabamos nos afogando no mar da vida. É preciso saber nadar junto a maré, para que não sejamos levados pela correnteza das ilusões e efemeridades da vida cotidiana.
    Bjus e boa semana!

    ResponderExcluir